Zé Gonçalves defende interação do legislativo com o movimento comunitário e  demais entidades em Patos

No discurso do vereador Zé Gonçalves (PT) em sessão da Câmara Municipal na noite desta quinta-feira (13), ele defendeu uma maior interação com as entidades civis tanto por parte da gestão municipal como dos representantes do povo no Legislativo.

Na opinião dele, as mais de 60 associações comunitárias existentes no município, por exemplo, podem contribuir e muito na discussão e resolução dos problemas da nossa cidade.

“Eu prezo muito pelas entidades que organizam o povo, independente de posição política ou religiosa”. “São esses companheiros e companheiras que estão à frente do movimento comunitário que conhecem as dificuldades enfrentadas no dia a dia das comunidades”, analisou.

Além do movimento comunitário que inclui a união dessas entidades, através da UAC e UMAC, outras organizações da sociedade civil organizada como GIAASP, movimento de jovens, mulheres, organizações religiosas e sindicatos de trabalhadores e empregadores, foram citadas como necessárias e que podem ser engajadas para dar sua contribuição à cidade.

“Estou compreendendo que não serão só 17 vereadores, o prefeito e o vice que vão resolver os problemas do povo na cidade de Patos”, disse. Zé Gonçalves acredita que parcerias são imprescindíveis para atender o povo, principalmente das áreas mais carentes de políticas públicas.

13 de Maio

Zé Gonçalves também destacou o 13 de Maio, lembrando que é uma data, que embora não tenha o que comemorar, serve para relembrarmos que é preciso continuar a luta pela igualdade e contra o preconceito.

“Embora a Lei Áurea tenha oficialmente extinguido a escravidão. Ela se eximiu de incluir socialmente e economicamente os negros e negras deixando à margem e à propria sorte. O que continua ainda hoje”, concluiu.

Enfermagem

O parlamentar avaliou a mobilização realizada no dia do Enfermagem e destacou que a luta principal é pela aprovação do projeto de Lei 2564, que está no Senado, que define o piso salarial da categoria de enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem e parteiras.

Em Patos ele voltou a exigir a implantação dos direitos das gratificações da Covid, e ainda as progressões horizontais e verticais de mais de 600 servidores lotados na Secretaria de Saúde de Patos.

Ataque a imprensa
O vereador Zé Gonçalves condenou o ataque a imprensa de Patos onde parte foi chamada de bandida e solicitou uma reunião da Comissão de Ética da Casa Juvenal Lúcio de Sousa para discutir não apenas esse ataque, mas outros que foram desferidos contra os próprios parlamentares mirins.” Temos a imunidade parlamentar, mas não podemos enveredar por esse caminho do ataque, desqualificando o discurso propositivo por ataques pessoais”, disse o mesmo.